CONTEÚDO E MÍDIA

Sucessão tradicional x ágil, o que muda?

 

Por Maria Candida Baumer de Azevedo I Fevereiro de 2019

Conheça as diferenças da sucessão tradicional x ágil e veja o que pode ser evoluído no seu jeito de planejar sucessão. Assim como a gestão de pessoas ágil gera mudanças na forma de selecionar, avaliação, desenvolver e recompensar talentos, o planejamento sucessório também precisa de ajustes.

Se você já leu os artigos que apontam para as mudanças nos processos base de gestão, aproveite. Com toda certeza, comece por eles antes de seguir aqui. Decerto você percebera ganhos importantes de entendimento!

MODELO TRADICIONAL MODELO ÁGIL
A trajetória é estrita, o profissional sobe ou sai.As trajetórias são possíveis são múltiplas e flexíveis.
O que importa são as necessidades do negócio.Além de olhar para o que o negócio precisa se considera também a personalidade e os sonhos de cada profissional.
O propósito da sucessão é alcançar um melhor cargo e mais dinheiro.O propósito da sucessão é o desenvolvimento de competências e a evolução do indivíduo junto com o negócio.
Os cargos são pré estabelecidos e fixos.Cada um pode definir o seu próprio título, há menos formalidade.
O gestor decide sobre sucessão.As equipes nominam os futuros gestores.
Processos de sucessão tendem a ser pouco transparentes.Há total transparência em quem substitui quem e o porquê.
A sucessão é definida considerando alguns candidatos em uma ‘planilha de Excel’ que atende a uma série de pré requisitos. Todos podem ser considerados.
ADAPTADO DE Thoren, Pia-Maria. Agile People: A Radical Approach for HR & Managers. Lioncrest Publishing, 2017.